Copyright © 1998-2001 MV Portal de Cifras  
 
                                                                  
Esta página é parte integrante de MV Portal de Cifras (http://www.mvhp.com.br)
Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.

Quase Maluco
Tom: D
		
           D
To quase maluco
                  D
Pra ver meu Pernambuco
                  D
Também ver os engenhos
                A7
E as belezas que tem lá
              A7
Rever o meu mocambo
Trepar no pé de jambo
Deitar nas folhas secas
              D
Do meu velho jatobá
               D
Chupar cana caiana
               A7
Vendo a pernambucana
              G
Dançar o lindo frevo
            Em
Cantar o maracatu
             A7
Chupar mangaba e manga
                  G
Comer pinha e pitanga
              A7
Tomar da chica boa
                D
Tira gosto com caju
                 D
Uma vontade eu tenho
                 D
De ver naquele engenho
             D
A linda moreninha
                A7
Que um dia eu deixei
                  A7
Ai, ai, que sede louca
Tou com água na boca
A relembrar o suco
                D7
Da garapa que tomei
                  G
Ô que saudade infinita
                D
Pra ver Recife linda
                     A7
E aquelas velhas pontes
               D
Numa noite de luar
               G
Eu tou quase maluco
                  A7
Pra ver meu Pernambuco
            G
Ver o Capibaribe
  A7             D
E abraçar o verde mar
( D   A7   A7   D   D    G    A7    D    G    A7    D )
Buraco de Tatu
Tom: C
		
C                               G7                C         D7          G
Não boto a mão em buraco de Tatu    é muito perigoso é preciso ter cuidado
               C7          F              D                        G
Lá dentro pode ter um Cáscavel    ou um urutu esperando de bote armado
C                           G7                 C            G7             C
Não boto a mão em buraco de Tatu      é muito perigoso é preciso ter cuidado
            C                      G7         C      D7         G7
Lá no meu roçado no meio do mandiocal    tem muito buraco de  tatu
      C                       F             D7                G7
O meu irmão que é muito inchirido   botou a mão puxou um surucucu
          F                  C           G7                  C
Bem feito quem foi que te mandou enfiar a mão em buraco de  tatu
          F      C                   G7                     C
Bem feito quem foi que te mandou enfiar a mão em buraco de tatu
O Fole Roncou
Tom: C
Intro:  D  C  G  F  A
         D                 C
O Fole roncou no alto da serra
                    G
Cabroeira da minha terra
               F           A
Subiu a ladeira e foi brincar(x2)
     Am                          D7
O Zé Buraco, Pé-de-Foice, Chico Manco
        Am
Peba Macho, Bode Branco
                   D7
Todo mundo foi brincar
        Am                     D7
Maria Doida, Margarida Flores Bela
                             Am
Muito triste na janela, não dançou,
            D7
Não quis entrar
         D                 C
O Fole roncou no alto da serra
                     G
Cabroeira da minha terra
           F               A
Subiu a ladeira e foi brincar(x2)
          Am                       D7
Naquela noite me grudei com Juventina
                Am                D7
E o suspiro da menina era de arrepiar
        Am                     D7
Baião bonito tão gostoso e alcoviteiro
       Am                             D7
Que apagou o candeeiro pro forró se animar
          D               C
O Fole roncou no alto da serra
                      G
Cabroeira da minha terra
           F              A
Subiu a ladeira e foi brincar(x2)
         Am                    D7
Naquela noite eu fugi com Juventina
                    Am
Quem mandou a concertina
             D7
meu juízo revirar
            Am                   D7
Eu sei que morro de bala de carabina
                  Am
Mas o amor da Juventina me
                 D7
dá forças pra brigar
        D                  C
O Fole roncou no alto da serra
                    G
Cabroeira da minha terra
           F            A
Subiu a ladeira e foi brincar(x2)
Solo final:  D  C  G  F  A
Terra, Vida e Esperança
Tom: C
Intro: Dm G Dm G C Bm7(11) A G

G         C           G
Estou no cansaço da vida
 A        C              G
Estou no descanso da fé
  F              C      G
Estou em guerra com a fome
  A     C               G
Na mesa filho e mulher
                 F
Ser sertanejo Senhor
            A#
É fazer fraco forte
  D#               G#
Carregar asa ao sorde
    D               G
Comparar vida com morte
           A      G
É nascer nesse sertão
                   F
A batalha está acabando
       C        G
Já vejo relampear
                     A
Abra o curral da miséria
      C           G
E deixa a fome passar
                     F
O que eu sinto meu Senhor
    C                     G
Não me queixo de ninguém
                   A
O que falta aqui é chuva
   C                        G
Mas eu sei que um dia vem
                F
Vai ter tudo de fartura
    C                   G
Pra quem teve e hoje não tem

Solo 2x: G  C  D  G

                   F
A batalha está acabando
     C         G
Já vejo relampear
                    F
Abra o curral da miséria
     C             G
E deixa a fome passar
                       F
O que eu sinto meu Senhor
         C            G
Não me queixo de ninguém
                     F
O que falta aqui é chuva
        C              G
Mas eu sei que um dia vem
                     F
Vai ter tudo de fartura
           C              G
Pra quem teve e hoje não tem

G              C             D           G
(ehhhhh  ehhhh....   ehhhh   ahhh)  (2x)
Baião da Garoa
Tom: G
Intro: G7

G7
Na terra seca
          C7         Gm
Quando a safra não é boa
             D7
Sabiá não entoa
                  Gm
Não dá milho e feijão
               C7        Gm
Na Paraíba, Ceará nas Alagoas
               F
Retirantes que passam
                    Gm
Vão cantando seu rojão

                    F
Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá
                    C7
Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá
                    F
Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá
                    C7
Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá

                   F
Meu São Pedro me ajude
                   C7
Mande chuva, chuva boa
                     F
Chuvisquinho, chuvisqueiro
                    G7
Nem que seja uma garoa

G7 /// C7 /////

C7
Uma vez choveu na terra seca
Sabiá então cantou
Houve lá tanta da fartura
                    D7
Que o retirante voltou

C7      D7
Lá, lá, lá, lá, lá, lá
C7      D7
Lá, lá, lá, lá, lá, lá
C7
Lá, lá, lá, lá, lá, lá
                 D7
Lá, lá, lá, lá, lá, lá

D7             G
Oh, Graças a Deus
D7         G7
Choveu garoou
Acauã
Tom: C
		
F                                  F7
Acauã, acauã vive cantando
                 Bb       C7       F   F7
Durante o tempo do verão
         Bb            C7       F
No silêncio das tardes agourando
                     G7/B   C/Bb   F/A
Chamando a seca pro sertão
                     G7/B   C/Bb   F/A
Chamando a seca pro sertão

F7
Acauã,
Acauã,
Teu canto é penoso e faz medo
Te cala acauã,
               G7/B   C/Bb   F/A
Que é pra chuva voltar cedo
                 G7/B   C/Bb   F/A
Que é pra chuva voltar cedo

F7
Toda noite no sertão
Canta o João Corta-Pau
A coruja, mãe da lua
       G7/B    C/Bb      F/A
A peitica e o bacurau

F7
Na alegria do inverno
Canta sapo, gia e rã
Mas na tristeza da seca
         G7/B    C/Bb      F/A
Só se ouve acauã
          G7/B    C/Bb      F/A
Só se ouve acauã
F7
Acauã, Acauã...
Xote Dos Cabeludos
Tom: F
		
Dm                Gm
Cabra do cabelo grande
A7                Dm
 Cinturinha de pilão
                    A7
Calça justa bem cintada
Custeleta bem fechada
                 Dm
Salto alto, fivelão
                  Gm
Cabra que usa pulseira
A7                Dm
 No pescoço medalhão
                   A7
Cabra com esse jeitinho
No sertão de meu padrinho
                         Dm
Cabra assim não tem vez não,não
A7              Dm
  Não tem vez não,não
A7             Dm
 Não tem vez não
                    A7
No sertão de cabra macho
                    Dm
Quem brigou com Lampião
                  A7
Brigou com Antonio Silvino
                       Dm
Que enfrenta um  batalhão
                A7
Amansa burro bravo
                  Dm
Pega cobra com a mão
                   A7
trabalha sol a sol
                       Dm
De noite vai pro sermão
                  A7
Rezar pra Padre Ciço
                   Dm
Falar com Frei Damião
        D7               Gm
No sertão de gente assim
                       A7 A#7 A7 A#7 A7
No sertão de gente assim
                  Dm
Cabeludo tem vez não
Eu Vou Pro Crato
Tom: F
Intro (sanfona): Bb Dm F7 Bb
             Bb
Eu vou pro Crato
                  Gm
Vou matar minha saudade
            C7
Ver minha morena
                 F7
Reviver nossa amizade
           Bb
Eu vou pro Crato
                  F7
Tomar banho na nascente
                F7
Na subida do Lameiro
                     Bb
Tomo uns trago de aguardente
            Bb
Eu vou pro Crato
                 Dm
Comer arroz com pequi
               F7
Feijão com rapadura
              Bb
Farinha do Cariri
Sanfona:(Bb Dm F7 Bb)
            Bb
Eu vou pro Crato
                  Gm
Vou matar minha saudade
            C7
Ver minha morena
                F7
Reviver nossa amizade
            Bb
Eu vou pro Crato
                F7
Pois a coisa melhorou
                F7
A luz de Paulo Afonso
             Bb
O Cariri valorizou
            Bb
Eu vou pro Crato
                 Dm
Já não fico mais aqui
             F7
Cratinho de açucar
             Bb
Coração do Cariri
Sanfona:(Bb Dm F7 Bb)
            Bb
Eu vou pro Crato
                  Gm
Vou matar minha saudade
             C7
Ver minha morena
                F7
Reviver nossa amizade
            Bb
Eu vou pro Crato
                   F7
Vou pra casa de seu Pedro
                   F7
Seu Felício é velho macho
                   Bb
Tô com Pedro, tô sem medo
            Bb
Eu vou pro Crato
                Dm
Vou viver no Cariri
              F7
Cratinho de açucar
             Bb
Tijolo de buriti
Sanfona:(Bb Dm F7 Bb)
Pra Não Morrer de Tristeza
Tom: C#
Intro: Bb7 Ebm Bbm  F7   Bb7  Ebm Bbm  F7 Bbm  ( F7 )
Bbm      Ebm         Bbm
Mulher, deixaste a moradia,
     Ebm     Bbm                    Ebm
Prá viver na boemia prá viver nos cabarés.
                         Bbm
E eu prá não morrer de tristeza
                   F
Me sento na mesma mesa
    F              Bbm Ab7
Mesmo sabendo quem és.
Ebm                     Bbm
E eu prá não morrer de tristeza
                  F
Me sento na mesma mesa
 F                 Bbm
Mesmo sabendo quem és.
Ab                     C#
E hoje nós vivemos de bebida,
                     F
Sem consolo e sem guarida,
           Bb7
Ô mundo enganador,
        Ebm
Quem era eu,  quem era tú,
            Bbm
Quem somos agora,
                  F#
Bons amigos de outrora
   F        Bbm  Bb7
Inimigos do amor
      Ebm
Quem era eu, quem era tú,
           Bbm
Quem somos agora,
                 F#
Companheiros de outrora
 F          Bbm
Inimigos do amor
Solo: Bb7 Ebm Bbm  F7   Bb7  Ebm Bbm  F7 Bbm  ( F7 )
(Repete tudo novamente)
Tamborete Forró
Tom: D
Intro: D A7 D D7 G A A7 D A7 D
             D            A7                    D
Ela era miudinha botei seu nome tamborete de forró
     D7                      G                      A
mas quando ela me deu uma olhada senti logo uma flechada
    A7                        D
meu coração foi logo dando um nó.
        A7                         D
ela dançando e balançando os cachos
                        G                           D
que meus cento e vinte baixos quase viram um pé-de-bode
        A7                       D
do lado dela um sujeito sem jeito
                      G                      D
e eu aqui com dor no peito mas como é que pode.
        D7                      G
Tava tocando um baião cheio de dedo,
           A7                    D
quando dei fé tava tocando chopin,
  D7                     G
menina você vai me dando asa
                      A
que eu levo você prá casa.
          A7                      D
e a gente faz um monte de tamboretim.  (Intro)
         A7                    D
E ela dançando ali me deu ciúme
                        G                          D
porque que dizem que perfume que é pequeno cheira mais.,
         A7                     D
e ela brilhando no forró inteiro
                 G                   D
apagaram o candieiro e derramaram o gás.
          D7                       G
Ai que vontade que chegasse um sanfoneiro
       A7                      D
para tomar este fole aqui de mim.
   D7                    G
Menina você vai me dando asa
                      A
que eu levo você prá casa
          A7                      D
e a gente faz um monte de tamboretim.    (Intro)
Eu Sou do Banco
Tom: E
Intro: Dm Am E7 Am  
  
  E7                              Am  
Eu sou do banco, do banco, do banco.  
E7                              Am  
Eu sou do banco, do banco, do banco.  
  
         Am  
É que o matuto deu de garra dos papéis  
		 E7  
E foi bater no banco de juazeiro  
		             Dm  
Tirou dinheiro e comprou cinco vaquinhas  
            E7		              Am  
E para tanto contratou logo um vaqueiro.  
  
O tangedor montou logo um alazão  
                   A7                  Dm  
Abriu os peitos no aboio que não tem fim  
                        Am             E7  
Coitada da boiada encabulada  
		     Am  
Com o chocalho tocando assim  
  
                   E7                                Am  
Eu sou do banco, do banco do Brasil.  
                             E7                       Am  
Do banco do Nordeste, cabra da peste  
            E7                   Am  
No Ceará eu sou do Bec  
                             E7                        Am  
Mas em Pernambuco sou do Bandepe  
                         E7                             Am  
Bandepe, Bandepe, Bandepe, Bandepe.  
  
  
              Am  
E lá vai ele assustando a matutada  
	                                               E7  
Em cada casa só se ouve um zum-zum-zum  
		     Dm  
Gado famoso e bonito desse tipo  
                        E7                                Am  
Só quem possui é Feitosa dos Inhamús  
  
Se alguém pergunta de quem é essa boiada  
              A7                                      Dm  
Ele responde: é de seu Zé Clementino  
                                  Am                E7  
É aí que o gado emperra, o gado berra  
                                      Am  
Que o vaqueiro ta mentindo.  
  
Repete do início ao fim  
  
                              E7		  
Final: Eu sou do banco...
Obrigado João Paulo
Tom: A
		A
De longe viestes
Pra estar no Nordeste
         Bm
No meu Ceará
E
Teu gesto tão nobre
              E7
No rico e no pobre
          A      E
Não se apagará
A
Da fé, peregrino
Ao Pastor Divino
A7        D
Vieste adorar
                A
Trazendo ao meu povo
              E
Fervor todo novo
                A   A7
Pra Deus mais amor
Refrão:
           D
João Paulo II
                  A
De Deus, grande graça
O povo te abraça
             F#m
Em ti, ver Jesus
              Bm
Feliz te agradece
             E
Por o visitares
                 D
E a Cristo adorares
   E         A     E  A
Na terra da luz
A
Há séculos sofrendo
Rigor mais tremendo
              Bm
De um clima feroz
E
O povo suporta
              E7
A fé nos conforta
              A         E
Deus luta por nós
A
Se fica, padece
Se parte, entristece
A7             D
Mas mostra o valor
               A
De quem na pobreza
                E
Descobre a riqueza
             A     A7
Da fé no Senhor
(Refrão)
A
Na tua passagem
A minha homenagem
              Bm
Filial no Senhor
E
A terra sofrida
               E7
A mim tão querida
               A          E
Beijaste com amor
A
Também eu te beijo
Meu maior desejo
A7            D
É beijar tua mão
                A
E fazer-te de veras
                E
Promessas sinceras
                    A  A7
De amar sempre o irmão
(Refrão)
A
A tua visita
É graça bendita
             Bm
Pro povo cristão
E
É felicidade
               E7
Privar da amizade
            A    E
Do teu coração
A
Pastor muito amado
De amor nosso brado
A7          D
A Deus levarás
               A
E a Roma voltando
               E
Saudades deixando
               A  A7
Entre nós ficarás
De Fiá Pavi
Tom: D
Intro: D  A  Bm  A  D  A  Bm  A  G  F#m  Em  D
D
Hoje tem forró mais cedo
                    G
forró como eu nunca ví
                     A
Tem quadrilha pau de sebo
             D
violeiro desafio
Sanfoneiro forrozeiro
       D7           G
têm bandinha de bifitri
                  A
Forró quando é gostoso
   G     F#m  Em  D
eu entro de fiá pavi
                A
Hoje é de fiá pavi
                G
Hoje é de fiá pavi
                     A
Quando é forró forró quente
   G       F#m  Em  D
Eu entro é de fiá pavi (2x)
D
Tem mulher de dá com pé
                     A
Tem homi de dá com a mão
A gente vai lá pra fora
       A           D
quando não dé no salão
D7                 G
Quando lá fora não dé
  A               D
a gente vai pro baxim
Bm               A
Onde tem rabo de saia
   G     F#m  Em  D
eu vou é de fiá paví
                A
Hoje é de fiá pavi
                G
Hoje é de fiá pavi
                     A
Quando é forró forró quente
   G       F#m  Em  D
Eu entro é de fiá pavi (2x)
Intro: D A Bm A D A Bm A G F#m Em D
(Repete tudo)
Rei Bantu 
Tom: D#
Intro: Dm  Gm  A7  Dm  Am
  Dm                                     G
Meu avô lá no Congo  Foi  Rei   Bantu
  Dm                          Bb  A7     Dm
Mas aqui  eu  sou  rei do  Mara....catu
  Dm                                          G
Fiz, eu fiz  meu  reinado  Fiz  meu trabuco
  Dm                     Bb  A7     Dm
Lá nos canaviá Do meu Pernambuco
  Ab      Fm        Dm             Ab      Fm      G     A7
Ai,........ ai,....     Orixalá   Ai,........ ai,   meu Pai Nagô!
  Dm          D7                 G
Ó vem abençoar o meu reinado
  Dm                      Bb   A7     Dm
Que foi feito só de  paz  e  de    amor
  Ab      Fm        Dm              Ab      Fm        Dm
Ai,........ ai,....     Orixalá  Ai,........ ai,   meu Pai Nagô!
  Dm          D7                 G
Ó vem abençoar o meu reinado
  Dm                      Bb   A7     Dm
Que foi feito só de  paz  e  de    amor
Matuto Aperreado
Tom: C
Intro: Am  G  F  E7  Am  G  F  E7  Am
  Am          G                 F        E7              Am
Eu vou, vou volto já Eu vou me embora Vou voltar pro meu lugar
  Am                                                            G
A procura de aventura Eu vim praqui Só pensando minha vida melhorar
  G                                                               F
Ao contrário, aqui só vejo a piora Por motivo de eu não me acostumar
   F                                Bm7(b5)           E7          Am
Com coisinhas que não tem na minha terra E aqui vejo toda hora sem parar
  Am                  G                                  F  E7  Am
Eu vou, vou volto já Eu vou me embora Vou voltar pro meu lugar
  Am                                                             G
Fico doido com tanta fala de gente E a zuada de automóvel a me assustar
  G                                                             F
Se na rua vou fazer um cruzamento Tenho medo, eu num posso atravessar
   F                    Bm7(b5)                      E7             Am
Desse jeito, eu sou franco em dizer Mas um dia eu aqui não posso mais ficar
  Am                  G                                  F  E7  Am
Eu vou, vou volto já Eu vou me embora Vou voltar pro meu lugar
  Am                                                      G
Lá deixei o meu cavalo, minha sela Minha rede que comprei no Quixadá
  G                                                       F
Que eu armava na latada do terreiro Pra Zefinha, meu amor, me balançar
   F                     Bm7(b5)                    E7             Am
Sou caboclo que nasceu lá no sertão Tenho orgulho em dizer que sou de lá
   Am            G                F          E7          Am
Eu vou, vou volto já Eu vou me embora Vou voltar pro meu lugar
( Am  G  F  E7  Am  G  F  E7  Am )
Só Xote 
Tom: F
Intro: Dm Gm  C  F   Bb  Gm
       Bb  A  Dm  Bb  A  Dm
       Dm           Gm
Sanfoneiro, toque o xote
         A                  Dm
Toque o xote que eu quero xotear
Dm                             Gm
Nesse xote, eu danço a noite inteira
    A                    Dm
Xoteando para o povo apreciar
      C
Dançar xote
                       F
Com quem sabe é bom demais
       C                           F
Tenho certeza que dança melhor não há
              A
Por isso, eu peço
                 Dm
Sanfoneiro toque xote, toque o xote
        A                     Dm
Toque o xote, que eu quero xotear
A Rede Veia
Tom: D
Intro: G   D7   Em   C   Bm   Em   D   A   D
   D                                        G
Eu tava com a Filomena, ela quiz se refrescar
               A                     D
O calor tava malvado, ninguem podia aguentar
                    G
Ela disse: meu ludrugo nos vamos se balanca
                G            D               A           D
A rede velha comeu foi fogo so com nos dois pra la e pra ca
Ludugero e Otrofe, eh saudade
   D                                    G
Comecou a fazer vento com nos dois a palestrar
           A                            D
Filomena ficou beba de tanto se balancar
                        G
Eu vi o punho da rede comecar a se quebrar
  G           D                         A                    D
A rede velha comeu foi fogo so com nos dois pra la e pra ca  O xente
 D                                    G
A rede tava rasgada eu tive a impressao
           A                                     D
Que com tanta balancada a gente terminava no chao
                                               G
Mas filomena me disse meu veio venha mais pra ca
Ludugero e Otrofe deixaram um buraco tao qrande no Brasil que ate hoje nao apareceu quem fechasse

 

Estrada de Canindé
Tom: G
  G       D7
Ai, ai, que bom
                     G
Que bom, que bom que é
                    Am
Uma estrada e uma cabocla
       D7             G
Cum a gente andando a pé
             D7
Ai, ai, que bom
                     G
Que bom, que bom que é
                      Am
Uma estrada e a lua branca
     D7          G
No sertão de Canindé
G7                        Cm      D7     G
Automove lá nem sabe se é home ou se é muié
G7
Quem é rico anda em burrico
        Cm     D7   G
Quem é pobre anda a pé Mas o pobre vê nas estrada
          E7         Am
O orvaio beijando as flô
                      D7
Vê de perto o galo campina
                         G
Que quando canta muda de cor Vai moiando os pés no riacho
G7          Dm    G      C
Que água fresca, nosso Senhor
      Cm             G
Vai oiando coisa a grané
       Em            Am
Coisas qui, pra mode vê
      D7                  G
O cristão tem qui andar a pé

 

Forro de Mane Vito
Tom: E
Intro: E   A   E    B7    E
Seu delegado, por Nossa Senhora Doutor, eu nao matei o homem nao, so dei uns risquinhos, 
o cabra era um cabra morredor, Doutor, juro por Nossa Senhora
             E
Seu delegado digo a vossa senhoria
             A                     B7         E
Eu sou filho de uma familia que nao gosta de fuá
Mas trasantonte no forro de Mané Vito
                 B7                  E
Tive que fazer bonito, a razao vou lhe explicar
          A                           E
Vitola no ganza, Preá no reco-reco
          B7                                 E
Na sanfona Zé Marreco, se danaram pra tocar
           A                               E
Pra qui, pra li, pra la, dancava com Rosinha
           B7                                 E
Quando o Zeca de Saminha, me proibe de dancar
Seu delegado sem encrenca eu nao brigo
               A                     B7         E
Se ninguem buli comigo, nao sou homem pra brigar
Mas nessa festa, Seu Doutor perdi a calma
                   B7                  E
Tive que pegar nas armas pois nao gosto de apanhá
            A                           E
Pra Zeca se assombrar, mandei parar o fole
            B7                                     E
Mas o cabra nao è mole quis partir pra me pegar
             A                               E
Puxei do meu punhá, soprei no candieiro
             B7                                 E
Botei tudo pro terreiro, fiz o samba se acabar
(  E   A   E   B7  E )
Seu delegado, juro por Deus dotô, eu sou fi de boa familia dotô, eu sou um homi direito dotô 
( ta conversando sujeito) faca isso nao dotô, faca isso nao dotô .
(repete tudo)
Ah ai dotô, visse? Fiz ou nao fiz direitinho? Mas juro pro sinhor hein, sou fi de boa familia, faca isso nao dotô.

 

Forró de Cabo a Rabo
Tom: G
Intro: G   D
Eita forrozao, esse ano è de cabo a rabo .
G                                        D
Eu fui dancar um forro la na casa do Zé Nabo
                                              Em
Nunca vi forro tao bom, nessa noite quase me acabo
                                               D
Tinha um mundao de mulher, sanfoneiro como o diabo
Am               D         C       B       Am         G
E o forro tava gostoso, era forro de cabo a rabo
                                              D
Vixe, como eu to feliz, olha so como eu to pavo
Am                  D         C       B       Am        G
Nunca mais eu vou perder um forrosao la do Zé Nabo
                                              D
Vixe, como eu to feliz, olha so como eu to pavo
Am                 D         C       B       Am         G
Nunca mais eu vou perder um forrosao la do Zé Nabo
(Aquilo è que è forro, è forro de cabo a rabo)
G                                            D
E era a poeira subindo, era aquele poeirao
                                   Em
E os cabra nao deixavam o Ze Nabo ir ao chao
                                      D
Ele chamou um soldado e o soldado chamou o cabo
Am                          D         C       B       Am         G
E o forro continuou e foi forro de cabo a rabo
(refrão)
(repete tudo)
Farinhada
Tom: F
 C7           F                   C
Tava na penera  /  Eu tava penerando
  G7                       C          C7
Eu tava de namoro     /   Eu tava namorando
   F                    C
Na farinhada   /  Lá na serra do Teixeira
 G7                          C         C7
Namorei uma cabocla  /  Nunca vi tão feiticeira
F                          C
A meninada  /  Descascava a macaxeira
 G7                            C
Zé  Migué no caititu   /  Eu e ela na penera     
  F                              C
O vento dava  /  Sacudia a cabelera
 G7                     C     C7
Levantava a saia dela  /  No balanço da penera
 F                                C
Fechei os óio  /  E o vento foi soprando
  D7                    G7                   C
Quando de um ridimuinho  / Sem querer tava espiando  
    F                           C
De madrugada   / Nós fiquemo ali sozinho
 G7                                   C       C7
O pai dela soube disso /  Deu de perna no caminho
    F                    C
Chegando lá  /  até riu da brincadeira
D7                  G7          C
Nós tava namorando  /  Eu e ela na penera.  
Deixa a Tanga Voar
Tom: F
Intro:  F    Dm    Bb   F   G   F   E   F
F
Zé matuto foi a praia, so pra ver como è que è
     C
Mas voltou ruim da bola de ver tanta rabichola
                F   G    F
Nas cadeiras das mulé
            D                                Gm
Zé Matuto matutou, matutou, escreveu pra Clodorviu
               C                           F
E ele logo respostou e acabou de ser o caso do Brasil
Uma tanga, mini-tanga, tao pequena, pieuitinha, miudinha
 C  D   C
Nao precisa  amarrar                                                                                             
       F
Ora pombas, ora bola, jogue fora a rabichola e deixa a tanga voar
F                           Bb
E deixa a tanga voar, o o o
                             F
E deixa a tanga voar, o o o
        C                       F
Ora pombas, ora bola, jogue fora a rabichola

 

A Mulher do Meu Patrão
Tom: E
Intro: E   D   A
 E                  D           A
Eu tenho pena da mulher do meu patrao
F#m            Bm           E               A
Muito rica tao bonita, ai meu Deus que mulherao
  E                  D                 A
Nao tem meninos para nao envelhecer
F#m            Bm           E                 A
mas nervosa sofre muito por nao ter o que fazer
   D                E                 A
no atico da panela, no batuque do pilao
D                E                 A
tem somente 15 filhos mais o chacho do feijao
  D                E                 A
sarampo, catapora mais a roupa pra lavar
D                E                 A
resfriado, tosse braba, lenha para carregar
 D                E                 A
pote na cabeca, tem cheirinho pra cozinhar
 D                E                 A
tira o leite da cabrinha, tem o bode pra soltar                                       
D            E                 A
vivo com minha nega num ranchinho que eu fiz
D                E                 A
nao se queixa, nao diz nada e se acha bem feliz
    D                             A
Com tudo isso ainda sobra um tempinho
  Bm              E               A
Um agrado, um carinho eu nao quero nem dizer                            
D                                 A
Com tudo isso ainda sobra um tempinho
  Bm               E                 A
E um moleque sambudinho todo ano e pra nascer
(repete tudo)
A Mini Saia
Tom: E
Intro:  E   A   E   B   E
E                   A               B         E         A
Comade Joana sempre reclamou, da mini saia que a filha tem
E                   A               B         E          A
O namorado se invocou tambem, e certo dia pra ela falou
          G#                    C#m
Tua saia Bastiana, termina muito cedo
        G#                    C#m
Tua blusa Bastiana, comeca muito tarde
         B                 E
Mas ela espondeu, oh facilita
         B                 E
Pra dancar o xenhenhen, oh facilita
          B                 E
Pra penerar o xeren, oh facilita
       B                 E
Pra dancar na gafieira, oh facilita
       B                 E
Pra mandar mandar pra lavadeira, oh facilita
       B                 E
Pra correr na capoeira,  oh facilita
       B                 E
Pra subir no caminhao, oh facilita
       B                 E
Pra passar no ribeirao, oh facilita
     B                 E
Tataritaritata , oh facilita
       B                 E
Pra banhar na cachoeira, oh facilita

 

Buraco de Tatu
Tom: C
 C                               G7                C         D7          C
Não boto a mão em buraco de Tatu    é muito perigoso é preciso ter cuidado
               C7          F              D                        G
Lá dentro pode ter um Cáscavel    ou um urutu esperando que bote a mão
C                           G7                 C            G7             C
Não boto a mão em buraco de Tatu      é muito perigoso é preciso ter cuidado
            C                      G7               C           G7
Lá no meu roçado no meio do mandiocal    tem muito buraco de  tatu
      C                       F             D7                G7
O meu irmão que é muito inchirido   botou a mão puxou um surucucu
          Dm                  C           G7                  C
Bem feito quem foi que te mandou enfiar a mão em buraco de  tatu
          Dm      C                   G7                     C
Bem feito quem foi que te mandou enfiar a mão em buraco de tatu

 

A Letra I
Tom: G
Intro: C G D G C Bm A D G
G
Vai cartinha fechada
                        D7
Não deixa ninguém te abrir
Àquela casa caiada
                   G
Donde mora a letra I
E diz que como uma cacimba
   G7                 C
Do rio que o verão secou
                       G
Meus óio chorou tanta mágoa
             D7
Que hoje sem água
                G
Nem responde a dor
Vai cartinha fechada
                       D7
Não deixa ninguém te abrir
Àquela casa caiada
                   G
Donde mora a letra I
E diz que como uma cacimba
   G7                 C
Do rio que o verão secou
                       G
Meus óio chorou tanta mágoa
             D7
Que hoje sem água
                G
Nem responde a dor
     D7         G
Vai diz que o amor
   D7              G
Fumega no meu coração
      D7        Em
Tal qual a fogueira
     A              D
Das noites de São João
        C                  G
Que eu sofro por viver sem ela
              D7
Tando longe dela
             G
Só sei reclamar
      C                 G
Pois vivo como um passarinho
              A7
Que longe do ninho
    D           G
Só pensa em voltar
São João Na Roça
Tom: D
Intro:(D Em A D)2x D C#m Bm A D 
                           G           A       D       C  
(A fogueira tá queimando em homenagem a são joão o forró  
    Bm  Em G        D          A            D C#m Bm A D 
já começou vamos gente arrasta pé nesse salão)       
                            G           A       D       C  
(A fogueira tá queimando em homenagem a são joão o forró  
    Bm  Em G        D          A            D 
já começou vamos gente arrasta pé nesse salão)       
                  A               D         D7 
Dança Joaquim com Zabé Luiz com iáiá dança jãojão com Raque 
              G           A    D Bm         Em       A    
e eu com sinhá traz a cachaça Mané eu quero vê quero vê quero 
          D 
vê palha voar  
                 A               D         D7 
Dança Joaquim com Zabé Luiz com iáiá dança jãojão com Raque 
              G           A    D Bm         Em       A    
e eu com sinhá traz a cachaça Mané eu quero vê quero vê quero 
          D  C#m Bm A D 
vê palha voar 
Nordeste Pra Frente
Tom: F
Intro: F C F
(refrão)
F                                  C
Sr. réporter já que tá me entrevistando
                                   F
va anotando pra botar no seu jornal
            Bb          F
que meu Nordeste tá mudado
          C                      F
publique isso pra ficar documentado
            Bb
Qualquer mocinha hoje veste mini-saia
          F
já tem homem com cabelo crescidinho
         Gm
O lambe-lambe no sertão já usa flashe
           F                    C
carro de praça cobra pelo reloginho
           F                      C7
Já tem conjunto com guitarra americana
         F                         Bb
já tem hotel que serve whisky escocês
                    C        F
e tem matuto com gravata italiana
 Dm        Gm       C        F
ouvindo jogo no radinho japonês
Sr. Reporter.....
(refrão)
 Bb
Caruaru tem sua universidade
          F
Campina Grande tem até televisão
         C
Jaboatão fabrica jipe à vontade
        F                        C
lá de Natal já tá subindo foguetão
         F                      C
Lá em Sergipe o petróleo tá jorrando
        F                     Bb
em Alagoas se cavarem vai jorrar
                       C             F
publiquem isso que eu estou lhe afirmando
    Dm       Gm        C           F
o meu Nordeste dessa vez vai disparar
(falado) F Dm Gm C F
Hahai... E ainda diziam que meu Nordeste não ia pra frente
falavam até que a Sudene não funcionava
Mas Dr. João chegou lá
com fé em Deus e no meu Padim Ciço
e todo mundo passou a acreditar no serviço
essa é que é a história
F
Sr.Reporter....
(refrão)
Sanfoninha Choradeira
Tom: G
Intro: G D G D C Bm Am G 
G                         D 
Chora sanfoninha chora chora 
                          C 
Chora sanfoninha a minha dor 
                          D 
Minha sanfoninha amiga certa 
       C             Bm 
Que chorando tu desperta 
    Am             G 
O coração do meu amor 
                                     D 
E ela me vendo, tá fingindo que não tá 
                   Dº               Em 
Tá me querendo, tá fingindo que não tá 
                                      D 
Coração batendo, tá fingindo que não tá 
        C         Bm              Am         G 
Tá batendo, tá morrendo, mas não quer se declarar 

 

Tô Saindo
Tom: Am
Am7
Um buraco é um lugar onde alguém afunda
Um buraco é um lugar onde eu não quero estar
Deixa estar. deixa estar
Minha boca linda
Quero te ver, quero te ver passar
Am7                                        D7/9
Eu tô saindo, eu tô saindo, eu tô saindo deste
        Am7                         C7
Eu tô saindo, eu tô saindo deste buraco
D7/9
Help! Eu preciso sambar Help!
Não há quem me pare Help!
               C7     { Am7  D7/9 }
Eu preciso sambar
Um buraco no chão é uma armadilha
Um buraco no teto é complicação
Se chover quero estar do teu lado, ó minha
Se o sol aparecer já não garanto não
Eu tô saindo, eu to saindo deste, eu tô saindo deste
Eu tô saindo, eu to saindo deste, eu tô saindo já
Eu tô saindo, eu to saindo deste, eu tô saindo deste
Eu tô saindo, eu to saindo deste, eu tô saindo deste buraco
Help! Eu preciso sambar
Help! Não há quem me pare
Help! Eu preciso sambar
Uma fenda, uma fossa, uma rachadura
Uma vala, um cabresto eu não quero não
Eu te vi no buraco da fechadura Com um buraco feito a bala no teu coração
Uma faca, um vão, um beco sem saída um buraco no dente é uma dor de cão
eu não quero passar pela avenida numa escola sem enredo e uma de evolução
eu to saindo...
Relógio do Baião
Tom: E
                 Tic Tic Tac do relógio que do norte vem é a cadência bem marcada que o baião tem. 2X

                   E                   D       E                D
                Ai o meu relógio é nortista, bate como bate um baião...
                                    A7       D7                 E     
                E esse tal Tic Tic Tic morena pisa no meu coração 2x
                                          A7                      E
               Pois quando eu vou me deitar, apago a luz pra dormir 
                                   A7                    E
               Não posso mas sussegar com esse tal tic tic, 
                                A7                  E
               Começo me remexer no meio da escuridão
                                      A7                     D7               E
                E sem querer sem querer levanto da minha cama e vou dançar baião
                               A7         D7                 E
                E esse tal tic tic morena pisa no meu coração 2x
Terra, Vida e Esperança
Tom: G
G               C    G  
Estou no cansaço da vida  
A            C        G  
Estou no descanso da fé  
F          C           G  
Estou em guerra com a fome  
    F    C          G 
Na mesa filho e mulher  
G                 F  
Ser sertanejo Senhor  
               A#  
É fazer fraco forte  
      D#         G#  
Carregar asa ao sorde  
      D            G  
Comparar vida com morte  
      A           G  
É nascer nesse sertão  
                 F  
A batalha está acabando  
     C         G  
Já vejo relampear  
                    F  
Abra o curral da miséria  
      C            G  
E deixa a fome passar  
                       F  
O que eu sinto meu Senhor  
         C            G  
Não me queixo de ninguém  
                     F  
O que falta aqui é chuva  
        C              G  
Mas eu sei que um dia vem  
                     F   
Vai ter tudo de fartura  
          C               G  
Pra quem teve e hoje não tem  
Solo: (G C D G)  x 2  
                   F  
A batalha está acabando  
     C         G  
Já vejo relampear  
                    F  
Abra o curral da miséria  
     C             G  
E deixa a fome passar  
                       F  
O que eu sinto meu Senhor  
         C            G  
Não me queixo de ninguém  
                     F  
O que falta aqui é chuva  
        C              G  
Mas eu sei que um dia vem  
                     F  
Vai ter tudo de fartura  
           C              G  
Pra quem teve e hoje não tem  
G              C             D           G  
(ehhhhh  ehhhh....   ehhhh   ahhh)  x2
Facilita
Tom: E 
Intro:  E   A   E   B   E 
 
E            A          B         E                A        B            E 
Comade Joana sempre reclamou, da mini saia que a filha tem 
E          A        B         E           A        B            E 
O namorado se invocou tambem, e certo dia pra ela falou 
            G#                    C#m 
Tua saia Bastiana, termina muito cedo 
            G#                   C#m 
Tua blusa Bastiana, comeca muito tarde 
            B            E 
Mas ela respondeu, oh facilita 
                     B          E 
Pra dancar o xenhenhen, oh facilita 
                B         E 
Pra penerar o xeren, oh facilita 
                B           E 
Pra dancar na gafieira, oh facilita 
              B                 E 
Pra mandar mandar pra lavadeira, oh facilita 
                 B            E 
Pra correr na capoeira,  oh facilita 
              B                 E 
Pra subir no caminhao, oh facilita 
                 B             E 
Pra passar no ribeirao, oh facilita 
           B           E 
Tataritaritata , oh facilita 
           B                 E 
Pra banhar na cachoeira, oh facilita
São João Antigo
Tom: D
Intro:D7 G D E A D
D                             Em 
Era a festa da alegria (São João) 
                A7         D
Tinha tanta poesia (São João) 
               D7
Tinha mais animação 
                   G
Mais amor, mais emoção 
                   D
Eu não sei se eu mudei 
      Em         D
Ou mudou o São João 
                     F#7 
Vou passar o mês de junho 
                    Bm
Nas ribeiras do sertão 
                    F#7
Onde dizem que a fogueira 
                    Bm
Ainda aquece o coração 
                   Em
Pra dizer com alegria 
                    Bm
Vai chorando de saudade 
                   G
Não mudei meu São João 
       F#           Bm
Quem mudou foi a cidade

 

Ladrão De Bode
Tom: D
Intro: D7 G D A7 D (2x)
D                                        Em
Vida boa vida alegre, minha vida é um pagode, 
                  A7                       D
Me criei robando cabra, vou morrê robando bode 
D                                      Em
Vida boa vida alegre,minha vida é um pagode
                  A7     G      F#m   Em   D
Me criei robando cabra, vou morrê robando bode 
 D               A            G           D
Seu delegado me solta, lhe garanto ao senhor 
                   Em             A             D
Se aprendi a roba bode, foi meu pai que me ensinou 
                    A7                      D
Desde o tempo de menino, com o finado meu avô 
                    D     G       F#m  Em    D
Desde o tempo de menino, com o finado meu avô 
 D                                       Em
Vida boa vida alegre, minha vida é um pagode, 
                  A7                       D
Me criei robando cabra, vou morrê robando bode 
                                        Em
Vida boa vida alegre,minha vida é um pagode
                  A7     G     F#m   Em     D
Me criei robando cabra, vou morrê robando bode 
             A              G          D
Eu tenho 14 filhos, tive o dom de ensinar 
                  A7                     D
Como  roba esses bode, seja qualquer animar 
                 A                          D
Mando enterrá o couro, mode de não deixá sinar 
                 A7     G       F#m    Em    D   
Mando enterrá o couro, mode de não deixá sinar 
D                                        Em
Vida boa vida alegre, minha vida é um pagode, 
                  A                        D
Me criei robando cabra, vou morrê robando bode 
                                        Em
Vida boa vida alegre,minha vida é um pagode
                  A7    G      F#m    Em    D  
Me criei robando cabra, vou morrê robando bode 
                A           G          D
Não adianta chibata, nem bolo de palmatória 
                   Em           A7        D
Me soltou robo de novo, e acabou-se a história 
                     A                         D
Sua glória á ser soldado, roubá bode é minha glória 
                     A7    G     F#m    Em      D
Sua glória á ser soldado, roubá bode é minha glória 
D                                        Em
Vida boa vida alegre, minha vida é um pagode, 
                  A7                       D
Me criei robando cabra, vou morrê robando bode 
                                        Em
Vida boa vida alegre,minha vida é um pagode
                  A      G      F#m   Em    D
Me criei robando cabra, vou morrê robando bode
Ô Véio Macho
Tom: G
Intro:C Bm Am G C D G Em Am G  
G
O que eu faço todo dia é bem pensado
                              Am 
E calculado bem direito na medida
           D7
Capricho muito quando puxo esta sanfona
                               G 
Em quarqué zona enquanto tivé vida
Cantando côco, baião, xote e toada
        G7                        C 
Essa puxada que eu faço aqui no baixo
           Cm                        G 
Quem me escuta se alegra não tem jeito
    Em         Am   D7         G
E grita satisfeito  ô veio macho!
C          Am  D7        G
Ô veio macho!  ô veio macho!
 Em       Am D7              G
Cabra danado nunca passa em baixo
C         Am  D7        G
Ô veio macho! ô veio macho!
 Em      Am   D7          G
Cabra danado nunca foi capacho
C         Am  D7      G         (Itrodução)
Ô véio macho! ô véio macho
G
Com meu gibão e meu cavalo na puxada
                                  D7
A rês montada vai direto pro  currá 
         Am                       
Sou setanejo já gostei de acabá samba
            D7                    G
Sempre fui bamba no manejo do punhá
Não tenho medo de careta nem de nada
       G7                      C 
E a moçada no lugá onde eu me acho
     Cm                        G
Atentamente vai ouvindo e vai vibrando
     Em           Am  D7      G
E comigo vai cantando ô veio macho!
C       Am    D7      G
Ô veio macho! ô veio macho
 Em      Am   D7            G
Cabra danado nunca passa em baixo
C      Am     D7       G
Ô veio macho! ô  veio macho
Em       Am   D7          G 
Cabra danado nunca foi capaixo
C       Am    D7      G
Ô véio macho! ô véio macho       (solo acompnando a musica)
 Em       Am   D7            G
Cabra  danado nunca passa em baixo...
Fogo Pagou
Tom: Bm
Intro:Em Bm F# B7 Em Bm F#7 Bm
Bm                            A        F# 
Teve pena da rolinha que o menino matou
       Bm                     A       F#7
Teve pena da rolinha que o menino matou
         Em                  Bm                 F#7        B7
Mais depois que torrou a bichinha, comeu com farinha...gostou
        Em                   Bm                 F#7        Bm
Mais depois que torrou a bichinha, comeu com farinha...gostou
Bm
Fogo pagou
 A
Fogo pagou
 G                     F#7
Fogo pagou..tem dó de mim
Bm
Fogo pagou
 A
Fogo pagou
 G                      F#7
Fogo pagou..é sempre assim
       Em                 Bm                F#               B7
Todo mundo lamenta a desgraça que a gente passa num dia de azar
         Em                Bm                F#7                Bm 
Más se disso tirar bom proveito sorrir satisfeito fingindo chorar
       Em                 Bm                F#               B7 
Todo mundo lamenta a desgraça que a gente passa num dia de azar
        Em                 Bm                F#7               Bm (Introd:) 
Más se disso tirar bom proveito sorrir satisfeito fingindo chorar
Bm                            A       F#
Teve pena da rolinha que o menino matou
       Bm                     A       F#
Teve pena da rolinha que o menino matou
        Em                   Bm                 F#        B7                     
Mais depois que torrou a bichinha, comeu com farinha...gostou
        Em                   Bm                 F#7        Bm           
Mais depois que torrou a bichinha, comeu com farinha...gostou
Bm
Fogo pagou
 A
Fogo pagou
 G                     F#
Fogo pagou..tem dó de mim
 Bm
Fogo pagou
  A
Fogo pagou
 G                      F#7
Fogo pagou..é sempre assim
       Em                Bm                F#7               B7
Todo mundo lamenta a desgraça que a gente passa num dia de azar
        Em                 Bm                F#7               Bm
Más se disso tirar bom proveito sorrir satisfeito fingindo chorar
      Em                  Bm               F#7               B7
Todo mundo lamenta a desgraça que a gente passa num dia de azar
        Em                 Bm              F#7                 Bm  Em  Bm F# B7 Em  Bm F# Bm
Más se disso tirar bom proveito sorrir satisfeito fingindo chorar
Cintura Fina
Tom-E
Intro:E Bm G#m F#m B7 E7 A B7 E
         D    A         E
Minha morena venha pra cá
            F#m        B7              E      A         E 
Pra dançar chote e se deite em meu cangote e pode cochilar
          D       A        E
Tu és "muié" pra homem nenhum
         F#m         B7        E
Botar defeito e por isso satisfeito 
       A            E
Com você eu vou dançar
REFRÃO:
     C#m        F#m
Vem cá cintura fina
    B7        E
Cintura de pilão
     C#m      F#m
Cintura de menina
     B7          E
Vem cá, meu coração
     C#m        F#m
Vem cá cintura fina
    B7        E
Cintura de pilão
    C#m       F#m
Cintura de menina
     B7         E
Vem cá meu coração
            F#m           B7        E
Quando eu abarco essa cintura de pilão
       C#m       F#m
Fico frio, arrepiado 
       B7          E        
Quase morto de paixão
             B7          F#m           E
E fecho os "óio" quando sinto o teu calor
          C#m          F#m
Pois teu corpo só foi feito
         B7        E
Pros cochilos do amor
REFRÃO 
            F#m           B7        E
Quando eu abarco essa cintura de pilão
       C#m      F#m
Fico frio, arrepiado 
       B7          E
Quase morto de paixão
            B7           F#m           E
E fecho os "óio" quando sinto o teu calor
          C#m          F#m
Pois teu corpo só foi feito
         B7        E
Pros cochilos do amor
REFRÃO
Boadeiro
Tom: E 
[E       A           B7        E 
[Vai boiadeiro que a noite já vem
[             A              B7           E 
[Guarda o teu gado e vai pra junto no teu bem (Refrão)
         E
De manhãzinha quando eu sigo pela estrada
                                    B7
Minha boiada pra invernada eu vou levar
São dez cabeças, è muito pouco e quase nada.
                                      E
Mas não tem outras mais bonitas no lugar
(Refrão)
E
De tardezinha quando eu venho pela estrada
                                 B7
A filharada ta todinha a me esperar
 São dez filhinhos e muito pouco e quase nada
                                      E
Mas não tem outros mais bonitos no lugar
 (Refrão)
E
E quando eu chego nas cancela da morada
                                  B7
Minha Rosinha vem correndo me abraçar
E piquininha, e miudinha, e quase nada.
                                    E
Mas não tem outra mais bonita no lugar
(Refrão)

 

Cigarro de Paia 
Tom: C

C
Meu cigarro de paia
             Am
Meu cavalo ligêro
	       F			BIS
Minha rede de maia
G		C
Meu cachorro trigueiro
C
Quando a manhã vai clareando
		Dm
Deixo a rede a balançar
	       F
No meu cavalo vou montando
	     C		
Deixo o cão a vigiar
G			C
Cendo o cigarro vez em quando
     C7			F
Pra esquecer de me alembrar
                        C     G
Que só me falta uma bonita morena
		C	C7	
Pra mais nada me faltar
F		    C		G
Que só me falta uma bonita morena
	      C
Pra mais nada me faltar
Numa Sala de Reboco 
Tom: Dm

     Dm                             A7
Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
                   Em7(b5)       A7        Dm
Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco
     Dm                             A7
Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
                   Em7(b5)       A7        Dm
Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco
            G                     Dm
Enquanto o fole tá tocando, tá gemendo
                      G                       Dm
Vou dançando e vou dizendo meu sofrer pra ela só
           G                          Dm
E ninguém nota que eu estou lhe conversando
                      Bb        A7            Dm
E nosso amor vai aumentando pra coisa mais melhor
      Dm                            A7
Todo tempo quanto houver pra mim é pouco ...
         G                     Dm
Só fico triste quando o dia amanhece
                     G                  Dm
Ai, meu Deus se eu pudesse acabar a separação
 G                              Dm
Pra nós viver igualado a sangue-suga
                        Bb         A7           Dm
E nosso amor pede mais fuga do que essa que nos dão
     Dm                             A7
Todo tempo quanto houver pra mim é pouco  ...
Retrato de um forró
Tom: Dm
Intro: Dm A7
           Dm                    A7
Quando tu balança da um nó na minha pança
4X
            Dm           A7
Madrugada entrando e o fole gemendo
                        Dm
Pueira subindo e o suor descendo
       				  A7
Quem não tava bebo já tava qurendo
                       Dm
E eu cambaleando ia te dizendo
           Dm                    A7
Quando tu balança da um nó na minha pança
4X
            Dm             A7
A Barraca é branda e eu naquele jogo
               A7
Tava me esquentando
   Dm
Vendo cende fogo
                        A7
Só batia palma de perna puchada 
           A7           Dm
Como quem atira em onça pintada
Repete tudo
Na Lagoa do Amor
Tom: C
C                 G
Onde a morena se banha
               C
é na lagoa do amor
                         G
Tira a roupa e não se acanha
               C
é na lagoa do amor
                    G
Onde o homem se assanha
               C
é na lagoa do amor
                   G
Bebe água e não estranha
               C
é na lagoa do amor
C              G                        C
é na lagoa do amor que a morena lava o suor
        G                      C
é no forró que a morena pega a suar
       F       E       Am
é lá e cá no forró da lagoa
      F        C                G         C
é na lagoa do forró que é lugar bom pra chamegar
(refraõ)
C               G                       C
é na lagoa do amor que a traíra cai no anzol
         G                      C
é com o anzol que a gente deve pescar
        F        E           Am
eu vou danar a mergulhar na lagoa
       F         C            G       C
fazer igual a jacaré vê a morena se banhar
Pau de Arara
Tom: Am
Am                           E7
Quando eu vim do sertão seu moço
           Am
Do meu bodocó
A7    Dm7
Meu malote era um saco
  A7              Dm7
E o cadeado era o nó
                          G7
Só trazia a coragem e a cara
   C                  Am
Viajando num pau de arara
      F                Am
Eu penei, mas aqui cheguei (2x)
 G7
Trouxe o triângulo
 C
Trouxe o gonguê
 B7
Trouxe o zabumba
             E7
Dentro do matulê
 A7                 Dm7
Xote, maracatu e baião
    Am                         E7
Tudo isso eu trouxe no meu matulão
Pense Neu
Tom: E
E      B      A      E    Bm  E   A
Pense n'eu quando em vez coração
       Bm            E    A   E
pense n'eu vez em quando
        E7          A
onde estou, onde estarei
       B              E
se sorrindo ou se chorando
       D               E
se sorrindo ou se chorando
        A  B            E    
pense n'eu... vez em quando 
        A  B            E    
pense n'eu... vez em quando 
E       B             A           E
Tô na estrada, tô sorrindo apaixonado
                    Bm         E
pela gente e pelo povo do meu país
olêlê
E             E7              A
tô feliz pois apesar do sofrimento
                   B             E
vejo um povo de alegria bem na raíz
vamos lá
E    B         A           E
alegria muita paz e esperança
                  Bm          E
na esperança de fazer tudo melhor
e será
E           E7         A
alegria o meu nome é união
                B            E
e povo unido é beleza mais maior

 

Propriá
Tom: E
E             A           B             E
Tudo que eu tinha deixei lá não trouxe não
              A             B         E
deixei o meu roçado plantadinho de feijão
               A              B           E
deixei a minha mãe com o meu pai e meus irmãos
             A          B         E
e com a rosinha eu deixei meu coração
                           A
Por isso eu vou voltar pra lá
                E
não posso mais ficar
  B                     E
Rosinha ficou lá em Propriá
(2x)
E                 A   B     E
aiai, uiui, eu tenho que voltar
E                    A       B          E
aiai, uiui, a minha vida tá todinha em Propriá
(2x)
No Ceará não tem disso não
Tom: D7
      D7
Tenho visto tanta coisa
Nesse mundo de meu Deus
Coisas que prum cearense
Não existe explicação
Qualquer pinguinho de chuva
Fazer uma inundação
Moça se vestir de cobra
E dizer que é distração
                G
Vocês cá da capital
       A7               D
Me adesculpe esta expressão
Refrão:
No Ceará não tem disso não,
              A7                 D
Não tem disso não, não tem disso não
No Ceará não tem disso não,
              A7                 D
Não tem disso não, não tem disso não
G         D
Não, não, não,
      A7               D
No Ceará não tem disso não,
Não, não, não,
No Ceará não tem disso não,
                          D7
Nem que eu fique aqui dez anos
Eu não me acostumo não
Tudo aqui é diferente
Dos costumes do sertão
Num se pode comprar nada
Sem topar com tubarão
Vou voltar pra minha terra
No primeiro caminhão
                    G
Vocês vão me adesculpar
        A7              D
Mas arrepito essa expressão:
Refrão
Calango da lacraia
Tom :D
       D
Eu vou te contar um caso
                    A7
Você ri que se escangaia
A mulher do Zé Maria
                   D
Foi dançar, caiu a saia
Refrão:
Calangotango
                   A7
Que o calango da lacraia
Meu cabrito tá na corda
                 D
Meu cavalo tá na baia
( D A7)
Minha filha não se casa
Com homem que não trabaia
Trabaiadô quando é bom
Segunda-feira não faia
Refrão
( D A7)
No lugar que eu jogo bola
Não quero jogo de maia
Também quero ter direito
Você mesmo me atrapaia
Refrão
( D A7)
Desaforo de mineiro
É chamar nortista de traia
O nortista puxa faca
Mineiro puxa navaia
Refrão
( D A7)
Se não fosse a carnaúba
Não tinha chapéu de paia
O que eu não atolero
É desaforo de canaia
Refrão

 

Dezessete e Setecentos
Tom: A
A                    Bm7                     A
Eu lhe dei vinte mil réis pra pagar tês e trezentos
                  Bm7                  A
Você tem que me voltar dezessete e setecentos
Sou diplomado, frquentei a academia
              A#°                Bm7
Conheço geografia, sei até multiplicar
           D          D#°            A
Dei vinte mango para pagar três e trezentos
     F#7        Em7          E           A
Dezessete e setecentos você tem que me voltar
                         Bm7                       A
Mas eu lhe dei vinte mil réis pra pagar três e trezentos
                E                   A
Você tem que voltar dezessete e setecentos
Eu acho bom você tirar os nove fora
                    A#°                      Bm7
Evitar que eu vá embora e deixe a conta sem pagar
           D              D#°        A
Eu já lhe disse que essa droga tá errada
      F#7       Bm7           E             A
Vou buscar a tabuada e volto aqui pra lhe provar

 

A Dança da Moda
Tom: Em
Em
No Rio tá tudo mudado
                   B7
Nas noites de São João
Em vez de polca e rancheira
                              Em
O povo só dança e só pede o baião
           D7
No meio da rua
         G
Inda é balão
           D7
Inda é fogueira
É fogo de vista
Mas dentro da pista
                              G
O povo só dança e só pede o baião
            Am7      D7
Ai, ai, ai, ai, São João
        G
Ai, ai, ai, ai, São João
              D7
É a dança da moda
Pois em toda a roda
             G
Só pedem o baião

 

Estrada de Canindé
Tom: G
    G       D7
Ai, ai, que bom
                     G
Que bom, que bom que é
                    Am
Uma estrada e uma cabocla
       D7             G
Cum a gente andando a pé
             D7
Ai, ai, que bom
                     G
Que bom, que bom que é
                      Am
Uma estrada e a lua branca
     D7          G
No sertão de Canindé
G7                        Cm      D7     G
Automove lá nem sabe se é home ou se é muié
G7
Quem é rico anda em burrico
        Cm     D7   G
Quem é pobre anda a pé
Mas o pobre vê nas estrada
          E7         Am
O orvaio beijando as flô
                      D7
Vê de perto o galo campina
                         G
Que quando canta muda de cor
Vai moiando os pés no riacho
G7          Dm    G      C
Que água fresca, nosso Senhor
      Cm             G
Vai oiando coisa a grané
       Em            Am
Coisas qui, pra mode vê
      D7                  G
O cristão tem qui andar a pé

 

Lorota Boa
Tom: C
C                    G                      C
Dei u'a carrera num cabra qui mexeu c'a Maroquinha
                  G                   C
Cumeçou na Mata Grande e acabou na Lagoinha!
                   Dm7                      C
Curri mais de sete légua, carregado cumo eu vinha
                 G                         C
Pois trazia na cabeça um balaio cheio de galinha
F   G   C
Oh, oh, oh! (2x)
       G                C
Qui mintira qui lorota boa (2x)
C                    G                    C
Certa noite muito escura atirei de brincadeira
                    G                     C
Espaiei dezesseis chumbo cum a minha atiradeira
                 Dm7                       C
No momento ia passando quinze patos no terreiro
                G                         C
Qui cairam fulminado, oi qui tiro mais certeiro
F   G   C
Oh, oh, oh! (2x)
       G                C
Qui mintira qui lorota boa (2x)
C                  G                    C
Uma coisa aqui no Rio qui me chamou atenção
                G                     C
Foi ver a facilidade qui se toma condução
                 Dm7                        C
Todo mundo confortave, seja em trem ou gostosão
                  G                           C
E os tais de trocadores, qui amáveis que eles são
F   G   C
Oh, oh, oh! (2x)
       G                C
Qui mintira qui lorota boa (2x)
C                    G                        C
Vou contar agora um caso qui astur dia assucedeu
                    G                       C
Minha sogra tá de prova que tal fato aconteceu
              Dm7                 C
Uma cobra venenosa viu a véia e mordeu
                      G                        C
Mais inveis da minha sogra foi a cobra que morreu
F   G   C
Oh, oh, oh! (2x)
       G                C
Qui mintira qui lorota boa (2x)
C                 G                         C
O meu primo Zé Potoca mente tanto qui faiz dó
                    G                     C
Me contou qui pegou água, inrolô e deu um nó
                   Dm7                        C
Qui mintira mais danada, qui conversa mais à toa
                    G                    C
Dá nó n'água né pussive, é lorota e das boa
F   G   C
Oh, oh, oh! (2x)
       G                C
Qui mintira qui lorota boa (2x)

 

Passo do Pinguim
Tom: C
    C
Pinguim nadou do pólo até o Cabo Firo
E de lá pro Rio
                   Dm7
Pra brincar o carnaval
Do calor pinguim nem deu sinal
                   G7
De casaco e peito duro
                     C
O pinguim é mesmo o tal
     G
Pinguim!
            Dm7      G           C
Oi, olha o passo, o passo do pinguim, pinguim
             Dm7     G         C
Sacudindo os ombros vai devagarinho, assim
          F                            C
E se o calor esquenta o fraque do pinguim
                   Dm7          G          C
Ele pede um chope duplo e bebe tudo até o fim
     G
Pinguim!

 

Mangaratiba
Tom: C
   G
Ôi, lá vem o trem rodanda estrada arriba
Pronde é que ele vai?
Mangaratiba! Mangaratiba! Mangaratiba!
        F                       C
Adeus Pati, Araruama e Guaratiba
               G                    C
Vou pra Ibacanhema, vou até Mangaratiba!
        F                           C
Adeus Alegre, Paquetá, adeus Guaíba
              F                      C
Meu fim de semana vai ser em Mangaratiba!
C7
Oh! Mangarati, Mangarati, Mangaratiba!
             C
Mangaratiba!
Lá tem banana, tem palmito e tem caqui
E quando faz liar, tem violão e parati
          C7                     F
O mar é belo, lembra o seio de Ceci
                C              G            C
Arfando com ternura, junto à praia de Anguiti
C7
Oh! Mangarati, Mangarati, Mangaratiba!
             C
Mangaratiba!
Lá tem garotas tão bonitas como aqui:
Zazá, Carime, Ivete, Ana Maria e Leni
       C7                       F
Amada vila junto ao mar de Sepetiba
                C             G
Recebe o meu abraço, sou teu fã
        C
Mangaratiba!
 F                   C7
Mangaratiba! Mangaratiba!

 

Vozes da Seca
Tom: G
C                  D7         F        G
Seu doutô os nordestino têm muita gratidão
       F           G             F       G
Pelo auxílio dos sulista nessa seca do sertão
       G7
Mas doutô uma esmola a um homem qui é são
                  A7         D         G
Ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão
      C           D        F           G
É por isso que pidimo proteção a vosmicê
      F          G             F          G
Home pur nóis escuído para as rédias do pudê
        G7
Pois doutô dos vinte estado temos oito sem chovê
                    A7                      G
Veja bem, quase a metade do Brasil tá sem cumê
      C             D              F        G
Dê serviço a nosso povo, encha os rio de barrage
      F            G           F        G
Dê cumida a preço bom, não esqueça a açudage
        G7
Livre assim nóis da ismola, que no fim dessa estiage
                    A7        D            G
Lhe pagamo inté os juru sem gastar nossa corage
        C          D            F         G
Se o doutô fizer assim salva o povo do sertão
           F           G          F           G
Quando um dia a chuva vim, que riqueza pra nação!
       G7
Nunca mais nóis pensa em seca, vai dá tudo nesse chão
                  A7        D             G
Como vê, nosso distino mecê tem na vossa mão

 

Paraíba
Tom: G
         G
Quando a lama virou pedra
              Am
E Mandacaru secou
                    D7
Quando o Ribação de sede 
             G
Bateu asa e voou
Foi aí que eu vim me embora
                    C
Carregando a minha dor
         Cm
Hoje eu mando um abraço 
    G
Pra ti pequenina
             Am
Paraíba masculina,
    D7             G
Muié macho, sim sinhô
G
Eita pau pereira
                        Am
Que em princesa já roncou
        D7
Eita Paraíba
                  G
Muié macho sim sinhô 
Eita pau pereira
                    C
Meu bodoque não quebrou
         Cm
Hoje eu mando 
               G
Um abraço pra ti pequenina
             Am
Paraíba masculina,
    D7             G
Muié macho, sim sinhô
         G
Quando a lama virou pedra
               Am
E Mandacaru secou
                    D7
Quando arribação de sede 
             G
Bateu asa e voou
Foi aí que eu vim me embora
                   C
Carregando a minha dor
        Cm
Hoje eu mando um abraço 
    G
Pra ti pequenina 
              Am
Paraíba masculina,
      D7           G
Muié macho, sim sinhô
Eita, eita
C7
Muié macho sim sinhô

 

Paraíba
Tom: A  
A
Quando a lama virou pedra
              Bm
E mandacaru secou
                  E7
Quando ribaçã de sede
                A
Bateu asas e voou
                     A7
Foi aí que eu vim'embora
                    D
Carregando a minha dor
       Bm                A            E
Hoje mando um abraço prá ti pequenina
    A        Bm
Paraíba masculina
       E          A
Muié macho sim senhor
Êta pau-pereira
                      Bm
Que em princesa já roncou
       E
Êta paraíba
                  A
Muié macho sim senhor
Êta pau-pereira
       A7            D
Meu bodoque não quebrou
       B                  A           E
Hoje mando um abraço pra ti pequenina
    A        Bm
Paraíba masculina
       E          A
Muié macho sim senhor
      Bm
Êta, êta
         E          A
Mulher macho sim senhor
A Vida do Viajante
Tom: D
 
   D          Bm             C
Minha vida é andar por esse país
                D            A7
Pra ver se um dia descanso feliz
    D         A7     D
Guardando as recordações 
   Em     B7       Em  
Das terras onde passei
  A7              D
Andando pelos sertões
       A7             D
E dos amigos que lá deixei
 
 Bm    Gbm   G            D
Chuva e sol / Poeira e carvão
 Bm      A7    G         D
Longe de casa sigo o roteiro
     A7      D
Mais uma estação 
    A7          D
E alegria no coração
- ESTRIBILHO
 
 Bm     Gbm        G          D
 Mar e terra   /   Inverno e verão
 Bm         A          G         A
Mostro o sorriso / Mostro a alegria
     A7      D
Mas eu mesmo não
      A7           D
E a saudade no coração
ESTRIBILHO
 
Baião
Tom: C
                    
C7
Eu vou mostrar pra vocês
Como se dança o baião
E quem quiser aprender
                    F7
É favor prestar atenção
Morena chega pra cá
Bem junto ao meu coração
                 D7
Agora é só me seguir
               G7       C
Pois eu vou dançar o baião
                 F7
Eu já dancei balancê
Xamego, samba e xerém
Mas o baião tem um quê
Que as outras dancas não têm
Oi quem quiser é só dizer
                   D7
Pois eu com satisfação
                        C
Vou dançar cantando o baião
                  F7
Eu já cantei no Pará
Toquei sanfona em Belém
Cantei lá no Ceará
E sei o que me convém
Por isso eu quero afirmar
               D7
Com toda convicção
               G7     C
Que sou doido pelo baião

 

O Xóte das Meninas 
Tom: F
      F 
Mandacaru, quando flora 
Na seca 
É o sinal que a chuva chega no 
   Bb 
Sertão 
Toda menina que enjoa da 
  F 
Boneca 
              C 
É sinal que o amor 
                 F 
Já chegou no coração 
       Bb 
Meia comprida, não quer mais 
        F 
Sapato baixo 
              C 
Vestido bem cintado
                       F 
Não quer mais vestir timão 
        Gm      A7 
Ela só quer, só pensa em 
    Dm 
Namorar 
        Gm      A7 
Ela só quer, só pensa em 
    Dm 
Namorar 
        Dm 
De manhã cedo já tá pintada 
            A 
Só vive suspirando 
              Dm 
Sonhando acordada 
                A 
O pai leva ao doutô 
            Dm 
A filha adoentada 
               A 
Não come nem estuda, 
                   Dm 
Não dorme, não quer nada 
       Gm       A7 
Ela só quer, só pensa em 
     Dm 
Namorar 
       Gm       A7 
Ela só quer, só pensa em 
    Dm 
Namorar 
        Dm 
Mas o doutô nem examina 
                  A 
Chamando o pai de lado 
                   Dm 
Lhe diz logo em surdina 
                A 
Que o mal é da idade 
              Dm 
Que pra tal menina 
                A 
Não há um só remédio 
           Dm 
Em toda medicina 
       Gm       A7 
Ela só quer, só pensa em 
    Dm 
Namorar 
       Gm       A7 
Ela só quer, só pensa em 
    Dm 
Namorar 

 

No Meu Pé de Serra 
Tom: G
G                D7 
Lá no meu pé de serra 
                    G 
Deixei ficar meu coração 
                D7 
Ai, que saudades tenho 
                        G 
Eu vou voltar pro meu sertão 
                           D7 
No meu roçado trabalhava todo dia 
                                   G 
Mas no meu rancho tinha tudo o que queria 
                                 D7 
Lá se dançava quase toda quinta-feira 
                                          G 
Sanfona não faltava e tome xóte a noite inteira 
         D7 
O xóte é bom 
          G 
De se dançar 
        D7                     G 
A gente gruda na cabôcla sem soltar 
       D7 
Um passo lá 
        G 
Um outro cá 
          D7 
Enquanto o fole tá tocando, 
    G 
tá gemendo, tá chorando, 
     D7                       G 
tá fungando, reclamando sem parar 
  
Danado de Bom 
Tom: C
 
C              Dm 
Tá é danado de bom
G7            C 
Tá danado de bom meu compade 
               Dm 
Tá é danado de bom 
               G7 
Forrozinho bonitinho, 
Gostosinho, safadinho, 
           C 
Danado de bom 
C 
Olha o Natamira na zabumba 
O Zé Cupira no triângulo 
                 Dm 
E Mariano no gonguê 
G7 
Olha meu compadre na viola 
Meu sobrinho na manola 
                C 
E Cipriano no melê 
C 
Olha a meninada nas cuié 
               C7 
Tá sobrando capilé 
                   F 
E já tem bêbo pra daná, 
                           C 
Tem nego grudado que nem piolho 
                    G7 
Tem nega piscando o olho 
                   C 
Me chamando pra dançar 
Tá é danado de bom... 
Tá, que forrozinho de primeira 
Já num cabe forrozeiro 
                      Dm 
E cada vez chegando mais 
G7 
Tá, da cozinha e do terreiro, 
Sanfoneiro, zabumbeiro 
                  C 
Pra frente e pra trás 
Olha meu compadre Damião 
                  C7 
Pode apagar o lampeão 
                    F 
Que tá querendo clarear 
                               C 
Agüenta o fole meu compadre Bororó 
                        G7 
Que esse é o tipo de forró 
                       C 
Que não tem hora pra parar 

 

Derramaro o Gái 
Tom: G
 
G        Am 
Eu nesse côco num vadeio mais 
              D7                G 
Apagaro o candeeiro, derramaro o gai (Côro) (4x) 
              C                  G 
Apagaro o candeeiro, derramaro o gái 
                 D7                   G 
Coisa boa nesse escuro já sei que num sai 
                      C                    G 
Já não tão mais respeitando nem eu que sou pai 
                     D7                   G 
Pois me deram um beliscão quase a carça cai 
                 C                  G 
Começando desse jeito num sei pronde vai 
               D7              G 
Por isso nesse côco num vadeio mais 
Eu nesse côco num vadeio mais... 
  
                 C                   G 
No escuro desse jeito ninguém se distrai 
                   D7                  G 
Pai de moça nessa festa só vai ter trabái 
                  C                 G 
Seu Zé Chico nesse côco e Isabé num cai 
                  D7                G 
O seu noivo tá querendo mas eu sou o pai 
                C                   G 
Ou acende um candeeiro bem cheim de gái 
            D7               G 
Ou ela nesse côco num vadeia mais 
Eu nesse côco num vadeio mais... 
                    C                      G 
Sazefinha entrou no côco com a gente e num sai 
                    D7                 G 
Pois ficou que nem badalo dentro do chocái 
               C                   G 
Levou tanta imbigada que caiu pra trái 
             D7               G 
Saiu andando manca que nem papagái 
                 C                   G 
Seu marido foi falar mas levou cinco talhos 
               D7              G 
Por isso nesse côco num vadeio mais 
Eu nesse côco num vadeio mais... 
  
Aproveita Gente 
Tom: Dm
Intro:Dm-G-C-Am (4x) 
     Am   Dm             G     C 
Aproveita gente que o pagode é quente 
    Am       Dm        G            C 
É forró pra toda essa gente se espalhar 
      Am    Dm         G    C 
Êita, coisa boa! Êita, pessoá! 
      Am        Dm        G            C 
Hoje aqui a páia voa vamo gente aproveitar 
        G                       C 
O resfunlengo desse fole não é mole 
                    G 
Todo mundo aqui se bole 
                   C 
Com o seu resfunlengar 
         E7                       Am 
E o sanfoneiro que não só faz resfunlengo 
                     E7                 Am 
Quando sai do lengo-lengo bota pra improvisar 
Improviso: G-C-G-C-E7-Am-E7-Am 

 

ABC DO SERTÃO
Tom: Em
Em              F#m B7              Em
  Lá no meu sertão    pros caboclo lê
E7              Am  B7          Em
  Têm que aprender   um outro ABC
E7          Am  D7        G
  O jota é ji,   o éle é lê
Em          Am            B7
  O ésse é si, mas o érre
             Em
Tem nome de rê
      F#m    B7         Em
Até o ypsilon lá é pssilone
E7         Am  B7        Em
  O eme é mê,   O ene é nê
E7         Am     D7          G
  O efe é fê, o gê chama-se guê
      Em          Am     B7           Em
Na escola é engraçado ouvir-se tanto "ê"
    B7      Em
A, bê, cê, dê,
      B7      G
Fê, guê, lê, mê,
     Am       Em
Nê, pê, quê, rê,
     B7   Em
Tê, vê e zê.

 

Penas do tiê
Tom: G                                        
Intro:  D4/7  D7
          G/B         Bbo      Am7    D7
Vocês já viram lá na mata a cantoria
      G/B          Bbo      Am7     D7
Da passarada quando vai anoitecer?
      G7M            C#m        Bm7
E já ouviram o canto triste da araponga
    Em             C#m        D4/7  D7
Anunciando que na terra vai chover?
                  
        G/B         Bbo        Am7    D7
Já experimentaram gabiroba bem madura
             G/B          Bbo    Am7   D7
Já viram as tardes quando vai anoitecer?
        G7M           C#m      Bm7
E já sentiram das planícies orvalhadas
          Em         C#m      D4/7   D7
O cheiro doce das frutinas muçambê ê
          C#m          Cm7            G7M
Pois meu amor tem um pouquinho disso tudo
          Am7            D7        G
E tem na boca a cor das penas to tiê
             Em           B7/9b          Am7
Quando ela canta os passarinhos ficam mudos
          F#m5/5b   Am7         G
Sabem quem é o meu amor, êle é você
 Bbo     Am7           D4/7  D7  G
Você... você... você ...

 

Assum Preto 
Tom: Dm
                   Dm 
Tudo em vorta é só beleza 
         D             Gm 
Sol de Abril e a mata em frô 
                       Dm 
Mas Assum Preto, cego dos óio 
            A7                 D 
Num vendo a luz, ai, canta de dor   (bis) 
    Dm 
Tarvez por ignorança 
       D       Gm 
Ou mardade das pió 
                       Dm 
Furaro os óio do Assum Preto 
         A7                  D 
Pra ele assim, ai, cantá de mió   (bis) 
    Dm 
Assum Preto veve sorto 
    D           Gm 
Mas num pode avuá 
                          Dm 
Mil vezes a sina de uma gaiola 
   A7                         Dm 
Desde que o céu, ai, pudesse oiá     (bis) 
       Dm 
Assum Preto, o meu cantar 
   D                 Gm 
É tão triste como o teu 
                     Dm 
Também roubaro o meu amor 
      A7                     D 
Que era a luz, ai, dos óios meu  (bis) 
Qui Nem Jiló 
Tom: F
Introdução: F - B - Em - A7 - Dm - F - G - C 
   
     C                B 
Se a gente lembrar só por 
    Em     G7 
Lembrar 
  C                   D 
O amor que um dia a gente 
   G     G7 
Perdeu 
   F                    B      Em 
Saudade inté que assim é bom 
     A7           Dm 
Pro cabra se convencer 
   G                C 
Que é feliz sem saber 
            G 
Pois não sofreu 
   C           B            Em    G 
Porém se a gente vive a sonhar 
    C                D 
Com alguém que se deseja 
    G     G7 
Rever 
    F          B       Em 
Saudade intonce aí é ruim 
    A7          Dm 
Eu tiro isso por mim 
          F        G    C 
Que vivo doido a sofrer 
             G 
Ai quem me dera voltar 
         C 
Pros braços do meu xodó 
             G 
Saudade assim faz roer 
         C 
E amarga que nem jiló 
         G 
Mas ninguém pode dizer 
 C                    C7 
Que me viu triste a chorar 
  F                 G 
Saudade, o meu remédio é 
     C   C7 
Cantar 
      F             G 
Saudade, o meu remédio é 
   C 
Cantar 

 

Asa Branca 
Tom: C
         C              F 
Quando oiei a terra ardendo 
           C      G     C 
Com a fogueira de São João 
          C7           F        Fm 
Eu perguntei a Deus do céu, ai 
           G         C 
Por quê tamanha judiação 
                      F 
Que braseiro, que fornaia 
        C     G    C 
Nem um pé de prantação 
           C7              F          Fm 
Por farta d'água perdi meu gado 
           G           C 
Morreu de sede, meu alazão 
       C            F 
Inté mesmo a asa branca 
      C    G      C 
Bateu asas do sertão 
            C7           F      Fm 
Entonce eu disse, adeus Rosinha 
          G            C 
Guarda contigo meu coração 
                    F 
Hoje longe muitas léguas 
        C    G   C 
Numa triste solidão 
          C7          F      Fm 
Espero a chuva cair de novo 
           G              C 
Pra mim vortá pro meu sertão 
                         F 
Quando o verde dos teus óio 
      C      G    C 
Se espaiá na prantação 
           C7             F        Fm 
Eu te asseguro, num chore não, viu? 
            G                 C 
Que eu vortarei, viu, meu coração 
  
Riacho do Navio 
Tom: F
          F 
Riacho do Navio 
          C 
Corre pro Pajeú 
O rio Pajeú vai despejar 
            F 
No São Francisco 
O rio São Francisco 
                    Bb    C 
Vai bater no mei' do mar 
C 
O rio São Francisco 
                      F 
Vai bater no mei' do mar 
                 F 
Se eu fosse um peixe 
                 C 
Ao contrário do rio 
Nadava contra as águas 
          F 
E nesse desafio 
Saía lá do mar pro 
           Bb    C 
Riacho do Navio 
C 
Saía lá do mar pro 
           F 
Riacho do Navio 
                   F 
Pra ver o meu brejinho 
             C 
Fazer umas caçada 
Ver as "pegá" de boi 
               F 
Andar nas vaquejada 
Dormir ao som do chocalho 
                     Bb     C 
E acordar com a passarada 
C 
Sem rádio e nem notícia
                F 
Das terra civilizada
                 C 
Sem rádio e nem notícia 
               F 
Das terra civilizada 

 

Olha Pro Céu 
Tom: Dm
Dm 
Olha pro céu, meu amor 
                  D   Gm 
Vê como ele está lindo 
C7            F          A7 
Olha praquele balão multicor 
Dm        Bb         A7 
Como no céu vai sumindo 
D 
Foi numa noite, igual a esta 
                        A 
Que tu me deste o teu coração 
O céu estava, assim em festa 
                    D 
Pois era noite de São João 
Am    C         B 
Havia balões no ar 
                Em 
Xóte, baião no salão 
G         E 
E no terreiro 
D      B     E        A 
O teu olhar, que incendiou 
       D 
Meu coração 
  
Respeita Januário 
Tom: G
                       G 
Quando eu voltei lá no sertão 
Eu quis mangar(zombar) de Januário 
               D 
Com meu fole prateado 
Só de baixo, cento e vinte, botão preto bem juntinho 
             G 
Como nêgo empareado 
                                           G7 
Mas antes de fazer bonito de passagem por Granito 
Foram logo me dizendo: 
              A                                           D 
"De Itaboca à Rancharia, de Salgueiro à Bodocó, Januário é o maior!" 
E foi aí que me falou mei' zangado o véi Jacó: 
  G      A          D 
"Luí" respeita Januário 
                G 
"Luí" respeita Januário 
  G7 
"Luí", tu pode ser famoso, mas teu pai é mais tinhoso 
                    C 
E com ele ninguém vai, "Luí" 
    G       D                      G 
"Luí", respeita os oito baixos do teu pai 

 

Sabiá 
Tom: Am
                   Am 
A todo mundo eu dou psiu 
           B 
Psiu, psiu, psiu
                 Em 
Perguntando por meu bem 
Psiu, psiu, psiu 
               Am 
Tendo o coração vazio 
              B 
Vivo assim a dar psiu 
             Em 
Sabiá vem cá também 
Psiu, psiu, psiu 
                  E 
Tu que anda pelo mundo 
Sabiá 
               Am 
Tu que tanto já voou 
Sabiá 
                     D 
Tu que fala aos passarinhos 
Sabiá 
             G 
Alivia a minha dor 
  Em 
Sabiá 
           B 
Tem pena d'eu 
  Em 
Sabiá 
           B 
Tens, por favor 
  Em 
Sabiá 
                       B 
Tu que tanto anda no mundo 
  Em 
Sabiá 
                 B 
Onde anda o meu amor 
   Em  Am  B Em 
Sabiá  .  .  .  á 

 

Forró No Escuro 
Tom: G

 

G                  C 
O candeeiro se apagou 
  D               G 
O sanfoneiro cochilou 
 C              Am 
A sanfona não parou 
   D            G 
E o forró continuou 
                   D 
Meu amor não vá simbora 
Não vá simbora 
                  G 
Fique mais um bucadinho 
Um bucadinho 
                       D 
Se você for seu nego chora 
Seu nego chora 
                    G 
Vamos dançar mais um tiquinho 
Mais um tiquinho 
                     D 
Quando eu entro numa farra 
                   G 
Num quero sair mais não 
                  D 
Vou inté quebrar a barra 
                  G 
E pegar o sol com a mão 

 

Pagode Russo 
Tom: Am
            Am 
Ontem eu sonhei que estava em Moscou 
        Am6                         Am 
Dançando pagode russo na boate Cossacou  (bis) 
 Am 
Parecia mais um frevo 
   E               Am 
Naquele "cai e não cai" 
 Am 
Parecia mais um frevo 
  E               Am 
Naquele "vai e não vai" 
Dm    Am  E   Am 
Vem cá   Cossaco 
  E             Am 
Cossaco dança agora 
  Dm             Am 
Na dança do Cossaco 
 E                 Am 
Não ficar Cossaco fora

 

BACK | RELOAD | FORWARD