Clique aqui para acessar seu cadastro e ter acesso a outras áreas dos site

 

 

 


 

APOSTILA DE CAVAQUINHO
Aprenda rápido esse fascinante instrumento do samba e pagode.


Incluíndo centenas de gráficos de acordes !



 
APOSTILA DE TECLADO
Método fácil e objetivo onde você já sai tocando em poucos dias.

 
Receba grátis mais de 100 músicas cifradas!

APOSTILA DE CONTRA-BAIXO
Um estudo completo com todas as técnicas e macetes.

Grátis capítulo com super Bônus !

PACOTE PROMOCIONAL 3 POR 2
Escolha 3 Apostilas de nosso acervo e pague por apenas duas.

3 apostilas pelo preço de duas !




Dicas para usar seu cavaquinho


*AFINANDO SEU INSTRUMENTO

As cordas do cavaquinho são contadas de baixo para cima ,e afinadas em Ré-Si-Sol-Ré , que é chamada de afinação tradicional, ou em Mi-Si-Sol-Ré, na afinação tradicional, igual a do violão, perdendo apenas as notas Lá e Mi. Leva-se em conta que as cordas estão classificadas de baixo para cima, ou seja, a corda mais fina é a 1ª corda e a mais grossa é a 4ª corda.Iniciando, então, o processo de afinação, vamos tomar por ponto de partida a 4a. corda (Ré).
1- Compara-se o som desta corda com a nota ré de mesma altura emitida por um outro instrumento já afinado ou por um diapasão, que é um pequeno aparelho (de sopro ou eletrônico), cuja, finalidade é servir de base para afinação de instrumentos musicais.

2 - Uma vez afinada, a 4a. corda (Ré), digitada na 5a. casa, emitirá o som da nota Sol, que é o mesmo que queremos ouvir na 3a. corda solta (Sol). Basta compararmos o som emitido pelas duas cordas e afinarmos, a partir da 4a. corda, a 3a. corda.

3- Aperte-se a 3a. corda (Sol) na 4a. casa (Si), o que nos permite ouvir o som da nota si, com que queremos ouvir emitido pela 2a. corda solta (si). Comparamos os sons das duas cordas afinando, a partir da 3a. corda, a 2a. corda.

5 - Aperte-se a 2a. corda (Si) na 3a. casa, o que nos permite ouvir o som da nota ré, som que queremos ouvir emitido pela 1a. corda solta (Ré). Comparamos os sons das duas cordas afinando-se, assim, a 1a. corda a partir do som emitido pela 2a. corda (digitada na 3a. casa).

É importante utilizar o recurso do DIAPASÃO para afinar um instrumento, já que ele possibilita afinar seu instrumento na altura so som próprio. Dois são os tipos de diapasão: o eletrônico e o de sopro. O diapasão eletrônico é um aparelho com muita precisão. Você toca a corda no cavaco, ele capta aquele som da corda e indica nota a nota que o instrumento emitiu. A partir daí, você deve apertar ou afrouxar a corda, através do girar da tarrachas, fazendo com  que a mesma atinja a nota com a qual deve ser afinada. Alguns modelos possuem a escala cromática (modelo mais completo). Já o diapasão de sopro se destingue do anterior na medida que ao ao bater na corda do instrumento é seu ouvido que vai comparar nota da corda com nota do diapasão. Se tiver igual é porque a corda está afinada, caso contrário rode as tarrachas até atingir a nota certa.

Digamos que seu diapasão contenha apenas uma nota. Esta nota é Re proporcional a quarta corda (Médio).Para isso, afina-se a quarta corda na mesma altura do diapasão. Aperta-se o quinto traste da quarta corda e terá a nota sol que é exatamente a nota da terceira corda. O som do 5° traste da 4ª corda deve ser igual ao som da 3ª corda solta. Estando a terceira corda afinada (SOL), aperta-se o quarto traste da terceira corda, terá agora a produção da nota si. Esta nota equivale a segunda corda solta, afina-se a 2ª corda comparando os sons emitidos entre o quarto traste da 3ª corda e a segunda corda solta. Para afinar a primeira corda, aperta-se o terceiro traste da segunda corda e ouça o som produzido. Desta vez a nota é ré, aperte ou afroxe a 1ª corda solta até o som ser igual ao som produzido com a segunda corda presa no terceiro traste. Ou seja:

*5° Traste da 4ª corda é igual a 3ª corda solta (SOL)
*4° Traste da 3ª corda é igual a 2ª corda solta (SI)
*3° Traste da 2ª corda é igual a 1ª corda solta (Re)

Vale lembrar que no início é bastante natural apresentar dificuldades no uso do diapasão de sopro, pois o principiante não tem ainda um ouvido apurado, inteiramente familiarizado com a altura das notas. Com uma sequência prática, a afinação, que antes era um problema, vai se tornando cada vez mais fácil.

*PALHETADAS

As dicas dos pagodeiros é de que se utilize palhetas de número 70 para execução de solos. Os números inferiores são recomendadas para acompanhamento, pois quanto menor o número mais flexibilidade e menor esforço sobre as cordas, possibilitando, dessa maneira,  mais vida útil as suas cordas. Lembre-se: Que você só terá um som de qualidade em seu cavaquinho, se mantiver as cordas limpas e bem cuidadas. Você que deseja melhorar sua palhetada preste atenção nesta dica que muitos pagodeiros passaram pra mim: Enrrole uma toalha no braço do cavaquinho, de forma que as cordas fiquem bem duras. A partir daí, com uma palheta bem dura, acompanhe músicas (sambas enredos...à..sambas lentos) simulando as batidas, nas cordas tracionadas. Depois de 30 min, retire a toalha, e note a diferença. Vale lembrar que para você ganhar agilidade nos solos tente  trabalhar de uma em uma corda, começando do 1º traste subindo cromaticamente e voltando a ultima e penúltima nota,com isso ganhará agilidade com o dedo mindinho. Lembre-se também que ao se executar o acompanhamento de um pagode ou choro, a localização das palhetadas fica ao gosto de quem está tocando, sendo que a regra geral é palhetar sobre a boca do cavaquinho. A mudança para outras regiões deve se dar para incrementar a interpretação em algumas passagens.

*OS PARTIDOS

Os partidos altos, quase que geralmente seguem uma sequências consoantes determinadas, composta de :  Tônica do Tom --> Sétima da Tônica Menor --> Subdominante --> Sétima da Dominante. Estas sequências permitem ao cavaquinista executar uma série de macetes, como efeitos e quedas cromáticas que ajudam a enriquecer a harmonia. Executem estas sequências em lugares diferentes do cavaco, trabalhando a parte aguda e a parte mais grave. Dizem que dá um efeito interessante, aliado a um bom treino para a mão direita. Verifique esses exemplos: ("D B7 Em A7", "C A7 Dm G7", "G E7 Am D7")

*TABLATURAS

Tablatura: forma de notação em que a nota a ser tocada (ou acorde) é indicada (ou indicado) pela posição dos dedos do executante e no braço do instrumento.
A tablatura no braço do cavaquinho:

|----41---|----40---|----49---|----48---|----47---|----46---|----45---|----44---|---43---|---42---|---41---|---40---||
|----31---|----30---|----39---|----38---|----37---|----36---|----35---|----34---|---33---|---32---|---31---|---30---||
|----21---|----20---|----29---|----28---|----27---|----26---|----25---|----24---|---23---|---22---|---21---|---20---||
|----11---|----10---|----19---|----18---|----17---|----16---|----15---|----14---|---13---|---12---|---11---|---10---||

Exemplo:
10 indica a primeira corda Ré solta
20 indica a primeira corda Si solta
30 indica a primeira corda Sol solta
40 indica a primeira corda Ré solta
Outros Exemplos:
12 indica a primeira corda apertando o dedo na segunda casa.
24 indica a segunda corda apertando o dedo na quarta casa.
36 indica a terceira corda apertando o dedo na sexta casa.
48 indica a quarta corda apertando o dedo na oitava casa.

Quando quisermos indicar duas ou mais notas tocadas simultaneamente, no meio do número aparecerá um traço.
Exemplo:
Acorde Dó maior 42 30 21 12

Quando aparecer o número com um traço embaixo, indica que a nota a ser tocada é sempre depois da nona casa. Exemplo ao lado.

Exemplos:
10 indica que se deve apertar o dedo na décima casa da primeira corda.
20 indica que se deve apertar o dedo na décima casa da segunda corda.
30 indica que se deve apertar o dedo na décima casa da terceira corda.
40 indica que se deve apertar o dedo na décima casa da quarta corda

*AS BATIDAS

Se você que é iniciante, encontra problemas com os ritmos, preste atenção: Procure acompanhar sempre o ritmo do tamborim "Pac(1) Pac(1) Pac(1) PaPa-Pac(2) Pac(1). È de vital importância para uma boa batida que a mão esquerda trabalhe também , pois essa mão funciona como um abafador, que destraciona as cordas antes comprimidas pela formação do acorde na intenção principal de cortar a sonoridade e sendo de grande  utilidade para o ritmo. Empregue também os efeitos, ou seja, aqueles sonzinhos que dão o tempero, com por exemplo a aplicação da nota Si-(B) em um acorde como (Ré menor)-Dm, provocando um efeito muito bonito, muito utilizado em partidos altos. importância para o ritmo.

* A ESCOLHA DAS CORDAS

A escolha do tipo de corda a ser usada vai depender do gênero musical e até mesmo do tipo físico e personalidade de cada um. No caso do  cavaquinho, infelizmente, não temos muitas opções. As cordas não vem com especificações na embalagem e, não raramente, algumas ( principalmente a terceira, sol ) já no momento em que as colocamos não aguentam a tração e arrebentam. Muitas delas também perdem a sonoridade em pouquíssimo tempo de uso. Uma boa opção é utilizarmos cordas de violão (as quatro primeiras). Algumas delas são de espessura ligeiramente maior do que as cordas fabricadas especificamente para cavaquinho e dão um som mais encorpado. Há uma boa particularidade nisso tudo: Se você enrolar o que sobra da corda direitinho, estará ganhando uma boa vantagem nessa corda, pois isto facilita também a troca de corda durante um show ( ou mesmo uma festa pagode, etc). Basta você jogar fora o pedaço usado (e quebrado), desenrolar a outra ponta (porém mantendo a corda no eixo da cravelha), passá-la pelo cavalete, reafinálo e começar a tocar. Você vai sentir a diferença. Há também a opção(pouco usada) de se usar cordas de guitarra mas nem todas são fabricadas com a finalidade de se obter som acústico e, por isso, nem sempre dão bons resultados.

* EXERCÍCIOS

Abaixo poderemos praticar alguns exercícios para facilitar o entrosamento com seu cavaco.
 
Vale lembrar que:

Dedo Indicador é o nº 1
Dedo do Palavrão é o nº 2
 Dedo Médio é o nº 3
Dedo Pequenininho é o nº 4

Faça os exercícios abaixo para dar liberdade aos seus dedos.
Só assim poderá começar a tocar.

1º- Faça uma ordem de dedo 1, 2, 3, e 4 apertando nas suas respectivas casas 1, 2, 3 e 4.
Faça isso na corda mais grossa.

2º- Agora faça nas ordens abaixo nas suas respectivas casas. Faça na corda mais grossa.
1243 1324 1342 1423 1432 Faça mais ou menos 5 minutos cada ordem
 
3º- Faça todas essas ordens. 2134 2143 2314 2341 3124 3142 3214 3241 3412 3421 4123 4132 4213 4231 4312 4321

Não se esqueça de fazer bem devagar e tem que sair som. Faça 5 minutos cada um, durante 7 dias.

* CUIDADOS COM SEU CAVACO

Aqui vão algumas dicas, para que você tenha um instrumento sempre com um belo som, aumentando o tempo de vida do instrumento, pois um  instrumento bem cuidado, vai com o tempo, ficando com um som mais notável e claro.

1º - Nunca deixe seu cavaco em locais de temperatura elevada, ele pode empenar e daí perder toda a qualidade do som, e qualidade de um instrumento e fundamental para se tirar um som legal.

2º - Não deixe seu cavaco por muito tempo afinado, tente depois de tocar, afrouxar as cordas, para que ele não force muito o cavalete e consequentemente, não perder a qualidade do seu som.

3º - Após usar seu cavaco, limpe-o com um pano seco para tirar todo suor que fica, esse suor faz com que as ferragens oxidem mais rápido, assim como as cordas também, pois cordas oxidadas se quebram mais rápido.

4º - Não deixe seu cavaco por muito tempo apoiado com a parte das cordas para fora, ficando assim ele pode empenar. Sempre o deixe de pé, ou deitado, nunca apoiado.

5º - Lembre que qualidade custa caro, mas se você está começando agora, não precisa comprar um cavaco muito caro tipo um DEL VECCHIO ou ROZZINI. Um GIANINNI Série Estudo ou até mesmo um TONANTE, que é uma marca que está cada vez melhor em qualidade e acabamento, são os mais baratos, podendo com eles tirar um som legal.

6º - Não deixe de usar um "CASE" para seu cavaco ou uma capa muito bem acolchoada, isso fará, com certeza, a diferença no som, pois seu cavaco não sofrerá nenhum dano com baques ou quedas, também evitará que seu cavaquinho empene ficando apoiado. Mas lembre CASE não são térmicos, por isso, mesmo seu cavaco dentro de um, ele não pode ficar exposto a elevadas temperaturas.








 

 

 

APOSTILA DE VIOLÃO
O material mais vendido da net com elogios de diversos músicos.
 

Grátis mais de 140 gráficos de acordes dissonantes !

APOSTILA DE GUITARRA
Técnicas e exercícios para você se tornar um verdadeiro guitarrista.


G
rátis centenas de gráficos de acordes !

APOSTILA DE PARTITURAS
Decifre as tão temidas pautas musicais através desse rico material.


Incluíndo
várias partituras para tocar !

PACOTE COMPLETO
Tenha em mãos as 6 Apostilas originais do MVHP com um super desconto.


O melhor custo benefício !

 

Nova pagina 1

VOLTAR | ATUALIZAR | AVANÇAR